Seguidores

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Mil e Uma noites sem dormir


Fabiola era uma perigueti, e como toda perigueti, ela também não sentia frio.
Fabiola tinha longos cabelos vermelho-ferrari, lábios finíssimos ideal pra sexo sexo oral mais sensível, lábios estes sempre cobertos com baton negro pra combinar com as também negras olheiras proveniente de alguém que é companheira da noite, tudo isso contrastava com sua pele branca e sensível, distribuída ao longo de seus 1,89 m e apenas 47 kg.
Fabiola nunca dormiu nestes 29 anos de vida, sofria de uma rara doença que jamais lhe dava sono. Durante o dia ela afiava tesouras de jardineiros do mundo inteiro, uma tesoura de jardim uma vez afiada pelas hábeis mãos de Fabiola nunca mais precisaria ser afiada novamente, ela cobrava caro pelo serviço, porem os jardineiros do mundo inteiro pagavam com prazer pra terem suas tesouras afiadas pela lendária afiadora Fabiola.
Após passar o dia afiando tesouras, Fabiola se dirigia até o subterrâneo de sua oficina de afiar tesouras e lá se despia por completo, deixando à mostra os mais belos seios que uma mulher já teve e uma depilação vaginal em formato de borboleta vermelha que hipnotizaria e petrificaria qualquer homem que ali ousasse olhar. Nua por completo Fabiola adentrava numa fonte que jorrava vinho, ali repunha suas energias num longo e demorado banho, ao mesmo tempo que se deliciava com o sabor do vinho que lhe beijava a boca e suas partes mais intimas, fazendo Fabiola delirar de tesão. Orgasmos múltiplos de mais de uma hora, e, no auge de seu tesão ela ligava pra diversas pizzarias da cidade, pedindo pizzas dos mais diversos sabores. Minutos depois das primeiras ligações começam a chegar as pizzas, pelo interfone ela pede pra que o entregador traga a pizza até sua fonte de vinho, onde se encontra Fabiola nua por completa com o corpo envolto no mais inebriante vinho. Ela pede que o rapaz se aproxime e lhe traga um pedaço de pizza e pergunta ao inocente rapaz se ele que provar um pouco do vinho, todos que ali entraram aceitavam, porem Fabiola pede pra que o vinho seja provado diretamente dentro de sua excitante buceta, que aquela altura havia um misto de vinho e gozo junto, o que fazia realçar o sabor das mais variadas uvas usadas na fabricação do mágico vinho. Imediatamente o rapaz se curva e começa a sugar o vinho de dentro da tenra e tremulante bucetinha de Fabiola, que gemia como um doente em estado terminal.
Após sugar a buceta de Fabiola por alguns instante eis que acontece o inesperado para o visitante. A buceta de Fabiola se contrai e engole a cabeça do rapaz, arrebentando seu crânio dentro da vagina que lhe atora o pescoço e só então ela chega ao êxtase e goza por completo com gritos e urros e um rio de porra que lhe escorre pelas coxas misturando-se ao vinho. E assim ela passa a noite, um após outro os entregadores de pizzas vão perdendo a cabeça por causa de Fabiola.
Com os corpos decaptados, Fabiola arrancava os pênis com uma mordida certeira e os congelava pra comer quando tivesse fome, e os restos mortais eram enviados em grandes container’s até o planeta onde impera Maciel “o pestilento”, para fazerem biscoitos, que em troca mantinha a fonte de Fabiola sempre funcionando com o melhor vinho do mundo.

5 comentários:

Bibi disse...

Quero uma buceta como a de Fabíola!
Bonitinha, intrigante e... Rrá, letal!

Vic Morton disse...

me diz o que cê usa, que eu quero também :D

Clara disse...

Os Dragui-quins deste conto estão deficitários de navalhas e objetos pontiagudos!
Favor providencie, Alfredo, documentos e crachás a todos!
Não gosto nada nada dessa bagunça que você e Maciel fazem!
Dragui-quins pra um lado e assassinos inocentes para o outro!

Adriane Gomes disse...

chocada!!! tenho medo desta depravada mulher afiadora!!!

comprando e vendendo imóveis disse...

você disse que eu não tenho coragem de publicar, seus comentários ...

claro só comentários idiotas...

eu escrevo esse blog para me divertir, faça o mesmo e será mais feliz, quem tem muitp tempo para comentar no blog dos outros deve não ter muita coisa para fazer, eu dificilmente perco meu tempo com comentários idiotas iguiais ao seus, até mais ...