Seguidores

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Galerias


Alheia a cidade gigantesca a sua volta, vivia Viviane Seproc, loira, 1,79 metros, cabelos pela cintura, pele clara como uma mandioca descascada permeada por pintas marrons parecendo a Xitara, raramente saia de seu apartamento onde passava noite e dia trabalhando na sua mais fatal invenção: um túnel ligando seu apartamento, o centro de tratamento de dejetos e esgoto da cidade e a basílica de Nossa Senhora Aparecida. Durante anos Viviane Seproc cavou milhares de quilômetros de galerias subterrâneas onde não via ninguém, a não ser animais peçonhentos, insetos e bactérias subterrâneas e como ninguém consegue ficar sem fazer amor por muito tempo, Viviane Seproc resolveu transar com estes seres soturnos, cobras, lagartos, minhocas, besouros, foi ai que desenvolveu uma rara patologia que a transformava em uma larva gigantesca quando ela descia aos túneis para cavar e quando retornava a seu apartamento novamente era Viviane Seproc, loira, magérrima, com dentes brancos e olhar penetrante.
Tudo pronto! Tudo pronto!
Todos os túneis estavam interligados, seu apartamento, o centro de tratamento de dejetos e esgoto da cidade e a basílica de Nossa Senhora Aparecida. Chegara o dia 12 de outubro, na basílica milhares e milhares de pessoas se encochavam para pedir ou agradecer pseudograças, a uma pequena pedra com formas humanóide que outrora servira de peso para rede de pesca.
E no aconchego de seu apartamento seu apartamento, Viviane Seproc toda maquiada e com perfume aroma alho argentino, salto alto verde, vestido colado de papel de seda e com as tetas de fora e os bicos intumescido de prazer e entusiasmo pelo tão sonhado dia.
Viviane Seproc aperta a tecla F5 de seu computador e imediatamente o centro de tratamento de dejetos e esgoto da cidade se rompe inundando de merda todas as galerias de túneis que Viviane havia escavado, as criaturas do submundo, escravos sexuais de Viviane Seproc, vibravam de prazer, pois nadavam na merda, era muita merda, jamais lhes faltaria comida. Minutos depois Viviane sensualmente aperta a tecla F3 de seu computador e toda a Basílica bem como as construções aos arredores é sugada por um imenso e fétido buraco de merda, Viviane Seproc ri, ao mesmo tempo em que toma sopa de chuchu em frente ao computador assistindo a tudo sem piscar.
Velhos e crianças em sua maioria, se afundavam em merda, foi quando Viviane se despiu e adentrou nos túneis já em forma da imensa larva ela engoliu cada pessoa que estava na Basílica e foi sugada pelo buraco. Agora a larva estava poderosíssima e acumulara energia pra novos e futuros túneis. Agora ela poria em pratica seu mais feroz plano, cavar até a Itália, engolir o papa e todos os fiéis do vaticano para se apoderar de todo o ouro e se tornar a mulher mais chique e elegante do mundo.

Um comentário:

A Prisioneira disse...

Puxa vida... Tanto tempo que não apareço por aqui!
Passei apenas pra dizer que continuo amando seus textos, e VOCÊ.

Beijos!