Seguidores

quarta-feira, 7 de maio de 2008

RODA DE FOGO


Chovia muito no dia em que Arnaldo resolvera aparar a grama de seu belo jardim, mesmo assim ele estava decidido. Foi até a garagem pegou a tesoura e a maquina de cortar grama, colocou chapéu de palha com flores desenhadas na aba, vestiu seu macacão rosa-bebê, calçou galochas brancas do tempo em que ele era leiteiro no norte da Polônia, ascendeu um cigarro e depois de fumá-lo por completo mesmo a chuva não acabando ele adentrou ao jardim, a grama estava alta, em torno de 50 cm e lá se foi Arnaldo com a maquina aparar a porra da grama que não parava de crescer, assim como a chuva que não parava de cair, quando já estava na metade do serviço e todo molhado eis que bate palmas no portão de sua residência Sergio “cabeça de porco” Jones, com uma faca na mão, sem camisa e com a boca cheia de batom, costume que adquirira ainda na infância.
Cabeça de Porco Jones era um homem rude e de fino paladar, apesar de trabalhar como orelha seca na borracharia “Pneu Estrelar” , em sua casa ele gostava de comer sopa de faisão ao molho madeira, patê de fígado de ganso selvagem do Canadá, bons vinhos Argentinos e Portugueses e charutos da Dinamarca. Porem naquele dia chuvoso Cabeça de Porco Jones tinha comido muito bacon com doce de leite e cerejas o que mexeu com sua mente. Transtornado ele foi até a casa de Arnaldo que feliz cortava sua alta grama. Chegando lá Arnaldo foi até o portão e o recebeu com beijos e abraços, enquanto abraçava, Cabeça de Porco Jones cravou-lhe uma facada nas nádegas fazendo com que Arnaldo urrasse de dor e prazer. Rapidamente Cabeça de Porco Jones deitou-se na grama e disse que queria amá-lo, ali mesmo, eis que Arnaldo pegou a maquina de cortar gramas e passou por sobre o corpo de Cabeça de Porco Jones que delirava de prazer com cada gota de sangue que voava de seu corpo, após um penetrar o outro e lamberem sangue e porra, resolveram então adentrar a casa de Arnaldo pra ouvirem valsa, comerem ovos cozido em conserva e ler Dostoievski, porem enquanto liam pegaram no sono e adormeceram ao lado da lareira, que devido a enorme quantidade de fogo soltou uma fagulha no tapete de urso fazendo com que toda a casa se incendiasse carbonizando os dois corpos, porem na mesma noite, algo estranho aconteceu, duas forças contrarias batalhavam pelos cadáveres, uma força dava-lhes vida ainda que com os corpos deformados e a outra retirava-lhe todo resquício de vida, era Onetwo Three que queria levar os cadáveres para o planeta e transformá-los em biscoitos para o grande Maciel “o pestilento” e seus súditos, e do outro lado era Baltazar querendo dar vida à eles para depois, por osmose absorve-los à seu corpo e ficar mais forte para um dia invadir o planeta e destronar o grande Maciel imperador do Universo.
Vendo a presença de Onetwo Three, Baltazar entrou em sua nave espacial e saiu de fininho, gargalhando e gritando:

HA! HÁ!YOU ARE!

EU VOLTAREI!

EU VOLTAREI!

Pois sabe que ainda não esta preparada pra enfrentar o grandioso Maciel ou um de seus capangas.
Com o caminho livre Onetwo Three ensacou os dois corpos e dentro da nave mesmo a caminho de casa transformou-os em deliciosos biscoitos que foram servidos no café da manha de Maciel.

10 comentários:

O Comandante Supremo do Exército dos Derrotados disse...

Profundo.

Extremamente profundo.

E Baltazar segue seu rumo em sua epopéia...

Conseguirá Baltazar se tornar um adversário à altura do grande Maciel?

Aguardamos ansiosamente.

raffa vedder disse...

nunca!
maciel é onipotente!

Caio Pimenta disse...

Profundo...
Daqueles que não se consegue parar a leitura...

Sem dizer que fiquei muito excitado na parte da faca cravada em nadegas e do cortador de gramas...

A Prisioneira disse...

Deve ser extremamente excitante receber uma facada no rabo, depois ser comido na grama, em pleno dia chuvoso.
E eu que pensava já ter experimentado de tudo. Ninguém nunca passou um cortador de gramas em minhas costas!
Ai ai...
Estou apaixonada por Arnaldo. Deliciosamente sádico...

Adorei.

20 disse...

Ahhh...

A descrição dos detalhes do amor...

Beautiful!

Beautiful!

MAHATMA GHANDI disse...

Realmente surpreendente as duas primeiras partes da estória. Elas são de grande sensibilidade poética e sexual. A forma com o o autor faz a colocação de suas idéias traduz a perfeita harmonia de personagens e acontecimentos. meus parabéns Tio Zzéppi.

Marciaum disse...

Caralho....é muito profundo !!! aagyaygaygaygygauhauhauh

Lucio Engels disse...

Você tem o dom da escrita. Ela flui, e isso torna o modo como articula seus textos muito interessante.

Só interessante.

O conteúdo é um lixo.

Ernesto Gelain disse...

Parece bizarro e até extra-terreno, mas se você parar para pensar está muito mais próximo do que possam supor.

Está em mim e em ti.

O instinto para coisas bizarras.

Humor negro.

Sou assumidamente vil.

Como Giuzeppi Coalhada.

socrelv disse...

Estou até sem comentários aqui.É uma das coisas mais escabrosas que já li.