Seguidores

sábado, 19 de fevereiro de 2011

iéss beibe


minha infancia foi cheia de excessos, mamãe me vestia com plumas e roupas com longos bordados com frases que ela lia nos banheiros em que limpava no metro de Amsterdã.
Aos 4 anos de idade aprendi a fazer meu próprio café, café este que ficou famoso nos saloon's do cruel oeste americano, foi lá que eu conheci a Senhorita Marrrlene, que mesmo com seus 30 anos, adora um menininho de 5 anos, se apaixonou por mim. Minha vida com MArrlene teve altos e baixos, ela me ensinou laçar cavalos e eu a espancava quando ela se vestia mal, aos 6 anos, ja farto da vida ao lado de Marrlene, eu a matei e fuji pra Bangladesh, la não deu nada certo, as pessoas me achavam meio agnóstico para os padrões hindus da época, foi então que me despi e na praça central declamei aquele mantra em homenagem a Shiva que ficou imortalizado até hoje em varios cerebros que ele ainda ecoa.
Ja com 9 anos e bem maduro, conheci um velho fazendeiro de nome Malaquias que criava perus na Islândia, trabalhei em seus galinheiros por 1 ano, sem remuneração alguma, Malaquias apenas me dava ração pra peru e uma barra de gelo pra eu chupar ao final de cada dia de labuta. Porem foi dentro de um destes galinheiros que eu conheci e ajudei um peru franzino de nome Maciel, alimentei ele e le dei uma poção magica que uma velha india me deu uma vez. Este velho peru virou rei de um mundo paralelo e depois de muito rico me levou pra lá. O lugar é o Acre medieval, la ele construiu um hotel para eu administrar, coloquei o nome do hotel de Cobweb Hotel e la recebo hospedes do mundo todo, ano que vem haverá uma grande festa nas dependencias do Cobweb Hotel, sera meu aniversario de 10 anos.

2 comentários:

érico ferrari disse...

sua historia de vida me faz lembrar as duras penas que passei cozinhando numa aldeia de Nova Guiné, pra um povo sujo e fedorento que me besuntava de cuspe e esperma toda vez q eu colocava pimenta demais na comida...sour times........

Rima disse...

It's amazing! É por essas e por outras que vc se tornou essa pessoa madura e visionária... graças ao peru! Vc teve sorte de ter tido um peruzão desses!!! Fico imaginando como seria se eu tivesse a mesma sorte que vc teve ao ter oportunidade de conviver diariamente com um peru primordialmente desconhcido...e como tão rápido vc ficou íntimo do peru alheio! Deviam dar mais valor aos perus! Você compartilharia seu peru comigo?
Beijos, Giu, querido! ^__^